B-gata H-kei (TV)

1.0 2.0 3.0 4.0 5.0 Bom

Informações

Títulos Yamada's First Time: B Gata H Kei
Ano 2010
Estúdio Hal Film Maker
Diretor Yusuke Yamamoto
País Japão
Episódios 12
Duração 24 min
Gênero Comédia, Ecchi, Romance

Trailer

 

B-gata H-kei (Sanguíneo B Tipo H - ecchi) é um manga sensual de 4koma (tirinha) publicado desde 2004 na Young Magazine pela desenhista Sanri Youko e adaptado para anime pelo estudio Hal Film Maker, responsável por séries como Saber Marionette J, Angel Sanctuary e Boys Be.

A série estreou oficialmente nas redes KBS Kyoto e Tokyo MX de televisão em 1 de abril de 2010 e seus 12 episódios foram exibidos semanalmente. O tema de abertura da série "Oshiete A to Z" e seu tema de encerramento "Hadashi no Princess", ambas canções tema, são realizadas por Yukari Tamura, que também se encarregou de dublar a protagonista da série.

B Gata H Kei conta a história de Yamada, uma estudante de 15 anos linda, inteligente e popular entre os garotos, que acaba de entrar no colegial com um sonho: ter 100 amigos de sexo. Apesar de todas suas qualidades, Yamada tem um temperamento um tanto difícil, é egocêntrica, vaidosa e tem uma mente muito pervertida... isso mesmo, pervertida. Porém ela é extremamente retraída e não tem nenhuma experiência com garotos, o que dificultará realizar seu sonho.

Como ponto de partida, para não correr o risco de ser menosprezada na sua primeira vez por um rapaz mais experiente, ela decide que o primeiro-passo para sua meta será fazer sexo com outro virgem. Acompanhada de sua amiga Takeshita para poder comprar um novo dicionário, (pois o antigo dela estava com todas as palavras eróticas grifadas) ela avista um garoto na livraria que ela define como “de rosto sem graça, genérico e nada masculino”, o que a leva a deduzir que ele também seja inexperiente. Acidentalmente, Yamada cai em cima do rapaz ao tentar pegar um livro na parte mais alta da prateleira, nesse momento ela se apresenta e, sem mais nem menos, pergunta se ele ainda é virgem, o que o faz fugir assustado com a atitude estranha da garota, sem deixar nenhum rastro. No dia seguinte, ela descobre que o nome do rapaz é Kosuda Takashi, e que ele senta do seu lado na escola. A partir daí Yamada começa a perseguí-lo para que ele seja seu primeiro parceiro de sexo, causando varias confusões.

Kosuda é um personagem que tem um bom coração, extremamente gentil, inocente e nem um pouco popular. O problema é que Kosuda é inocente até demais, o que tende a deixar quem está assistindo um pouco irritado com suas atitudes pois, mesmo sendo uma tarada e atacando ele em todos episódios, Yamada acaba tendo grandes dificuldades de evoluir alguma coisa com o rapaz. Em determinados momentos, temos a impressão que os papéis foram invertidos pois Yamada é extremamente ativa, enquanto o Kosuda fica na retaguarda. Apesar do amadurecimento dos protagonistas, o decorrer da série deixa um pouco a desejar nesse quesito, o que passa a sensação de que ambos são meio irritantes.

Os protagonistas do anime são acompanhados por seus “deuses do sexo”, que é uma espécie de consciência que os estimulam para seus caminhos sexuais. Eles retratam bem a personalidade dos personagens como, por exemplo, o do Kosuda que é meio mortão.

Uma qualidade no andamento da série é que todos personagens tem suas participações na história, e em alguns episódios ganham um certo destaque, como as irmãs dos protagonistas e seus colegas de escola.

Com um tema fácil de trabalhar o anime é repleto de piadas com as situações em que os protagonistas se metem, e os personagens secundários ocupam um papel importante na complementação da série. As piadas inicialmente agradam, porém no decorrer do anime elas perdem um pouco de força por se tornarem repetitivas, mas nada que chegue a estragar o anime.

Apesar da animação ser simples, os traços do desenho agradam. É um anime para ser assistido por quem procura algo mais descomprometido, por não fugir do clichê, mas valem as risadas.

Marcio_Mogi
>