Ojii-san no Lamp (Especial)

1.0 2.0 3.0 4.0 5.0 Muito Bom

Informações

Ano 2011
Estúdio Telecom Animation Film
Diretor Teiichi Takiguchi
País Japão
Duração 24 min
Gênero Drama, Histórico

O grupo japonês Janica fez uma parceria com várias empresas para financiar jovens talentos. Quatro ideias para curtas de 30 minutos foram escolhidas e cada uma recebeu 38 milhões de yenes (uns 400 mil dólares) de financiamento. O 2010 Young Animator Training Project, como ficou conhecido, tinha como exigência que as animações fossem produzidas no Japão. Ele serve também como oportunidade para trocas de experiências entre profissionais famosos e novatos, para que as técnicas não se percam em um mercado onde é cada vez mais comum terceirizar produções. Ojii-san no Lamp (A Lâmpada do Vovô) foi produzido pela Telecom Animarion Film. A companhia tem em seu currículo obras como Bakugan, Saint Seiya Lost Canvas e D. Gray-man. O diretor foi Teiichi Takiguchi, figura experiente na animação japonesa. Ele já trabalhou como diretor, character desigin, key animator e roteirista, entre outros cargos. Enquanto procurava um bom lugar pra se esconder jogando pique-esconde o jovem Toichi encontrou um objeto estranho. Ele decide pegá-lo e brincar com ele. Mais tarde seu avô Minosuke o repreende enquanto ele brinca com amigos na frente da loja do avô e guarda o objeto. Então, ao cair da noite, Toichi procura seu avô pra saber o que era a coisa que ele tinha achado, e Minosuke começa a contar a ele sua juventude como vendedor de lâmpadas.

A parte principal da animação se passa numa vila afastada, onde não há energia elétrica e as pessoas eram mais amigas umas das outras. O órfão Minosuke passa por pequenas alegrias e tristezas conforme se torna adulto. Em alguns momentos as reações dele parecem exageradas, mas o personagem é muito humano e carismático. Contar mais sobre a história é cometer um belo spoiler, já que são as pequenas reviravoltas que fazem o OVA ficar interessante. O tema principal é a modernização e o impacto que ela tem na vida das pessoas. O Japão passou por uma modernização repentina e assombrosa. A dificuldade de se adaptar, o medo do desconhecido e todo este tipo de sentimentos são bem expressados. E isso toma novo significado quando se pensa que um dos objetivos deste curta é treinar jovens talentos na arte de criar animações, uma área que une técnicas antigas e novidades que chegam a todo momento. Foi investida uma boa grana em cada episódio da série, e o lado técnico não decepciona. Ojii-san no Lamp dá um show usando animação tradicional. O traço fino e delicado e a movimentação suave dão uma elegância ímpar à obra. Um cuidado todo especial foi tido com a iluminação. As cores são pálidas e há uma predominância de variações de marrom, o que acentua as luzes e aumenta a sensação de nostalgia. As lâmpadas tem papel importante na obra, e sempre roubam a atenção nas cenas em que estão acesas.

O clima criado é agradável e nostálgico e casa perfeitamente com o roteiro e as músicas. A boa dublagem consegue transmitir as emoções, e o curta no geral é tocante e belo. E isso sem precisar apelar para a violência ou a nudez, focando apenas em uma sensibilidade aguçada e no bom desenvolvimento de um personagem. É uma obra muito boa, e espero que as outras três animações do projeto mantenham o alto nível.

Heider Carlos
>