Vampire Knight Guilty (TV)

1.0 2.0 3.0 4.0 5.0 Muito Bom

Informações

País Japão

A série é continuação de “Vampire Knight”, portanto, só pode ser vista após assistir a primeira série. Seguindo do ponto em que a série anterior parou, o que se vê são as consequências ocorridas, devido ao passado de um dos personagens principais, Kiryu Zero. Falando sobre passado, é justamente o passado de Cross Yuki, que não possui memórias do que era antes de ser adotada pelo diretor da Academia Cross, o pontapé da série. Prosseguindo a saga iniciada na série anterior, algo a ser relatado é justamente o passado dos personagens mais relevantes: ações e atitudes são explicadas, tornando possível compreender o que cada um pensa sobre sua vida. Sem dúvidas, um ponto forte para a franquia, que consegue revelar as intenções de cada personagem, sem deixar dúvidas. Os personagens são os mesmos, e alguns novos surgem pra inserir uma nova história, terminando os bons momentos da Academia Cross. Acredite: segredos podem transformar um lugar tranquilo em um cenário típico de filmes de terror. As sequelas dos últimos acontecimentos acabam transformando o local, e isso acarreta decisões complexas e até difíceis de aceitar, dando aos personagens a palavra final a respeito de suas vidas.

Tanto os personagens humanos quanto os vampiros chegam a um ponto em que não podem negar que a coexistência entre as duas raças sempre ocasionará consequências positivas e negativas. Cada fase de “Vampire Knight” – mangá/anime - mostra a existência de um vampiro puro-sangue e seus objetivos de vida: cada vampiro possui uma categoria, sendo os puros-sangues os mais raros; os vampiros nobres, que constituem as maiores famílias vampíricas; os vampiros comuns; os ex-humanos, que são humanos mordidos por vampiros; e os níveis E, que são vampiros que perdem a consciência e seguem apenas os instintos. Um fato curioso é que somente os vampiros puros-sangues são capazes de transformar humanos em vampiros: uma lógica bem elaborada pelo mangá, apesar de ser pouco comentada no anime. A animação possui as mesmas qualidades da série anterior, mantendo o gráfico, dublagem e outros aspectos técnicos, assim como a quantidade de episódios, que era para ser uma e acabou sendo outra. Sobre a trilha sonora, o tema de abertura “Rinne~Rondo~” é cantado pela banda ON/OFF, mantendo o estilo vampírico de ser; o tema de encerramento “Suna no Oshiro” é cantado pela cantora Kanon Wakeshima, que tem estilo sombrio: são os mesmos que cantaram os temas da fase anterior.

Aos que se interessarem em descobrir o que acontece após a série, a dica é continuar lendo o mangá, pois existem certos fatos que ficaram pendentes, devido à história não ter terminado. Resta torcer para que façam a terceira fase da franquia, porque os que acompanham a série no mangá, nos animes ou ambos esperam ansiosos. Se ocorrer, deve ser quando a fase atual do mangá tiver uma conclusão.

Escritora Otaku
>